Publicações recentes

Será que é amor?


No apaixonamento, pintamos o outro com as cores do que necessitamos ver. O outro serve como depositário responsável por nossas frustrações e alegrias. O que não podemos ver, entretanto, é que somos nós que damos ao outro as cores com as quais precisamos reeditar a nós mesmos. Os encontros que perduram são aqueles nos quais os parceiros conseguem contar até três: o outro não pode ser apenas aquele sobre o qual depositamos nosso "não-eu".



(Evelin Pestana, Casa Aberta - Página, Psicanálise, Artes, Educação).

Mariana Rosa

Psicóloga Porto Alegre


Mariana Rosa da Silva (CRP 07/22953)

Psicóloga Porto Alegre

  • psicologa mariana rosa
  • psicologa mariana rosa